11.7.08

O Dinheiro

Recebeu o troco e notou a frase escrita na nota de dez reais: “Deus é fiel”. Olhou atento para aquela frase por três segundo e depois tacou a nota no bolso esquerdo da calça Jeans e saiu.

Depois de um tempo, já na solidão e languidez de sua casa, ficou pensando porque alguém escreveria tal heresia numa nota. A heresia não seria pelo fato de Deus ser fiel, como diz a frase, mas pelo fato de alguém tê-la escrito numa nota que possui um determinado valor e serve como moeda de troca. Sendo assim, Deus pode até ser fiel (há quem pense o contrário!) mas o dinheiro só tem fidelidade a quem o possui e esta fidelidade se resume a um instante fulgás, até o momento em que ele é trocado por algum objeto qualquer; daí em diante a sua fidelidade pertence a outro, também por um momento fulgás.

Ficou pensando na contradição daquela frase no dinheiro: “Deus é fiel. O dinheiro, não!” Dizia ele para si mesmo. Depois de muito pensar, viu uma coisa positiva naquilo tudo e começou a avaliar a sua relação com o dinheiro: “e eu, sou fiel ao dinheiro?” Pensava preocupado. “Coloco o dinheiro como prioridade na minha vida?”. Depois dessas reflexões, viu que o dinheiro, pelo menos para ele, era apenas algo necessário para se obter alguns bens indispensáveis para manutenção da sua existência e não algo autônomo, com vida própria; apenas um meio para se atingir um fim e não o fim em si.


Para ele, a felicidade e satisfação da vida não estava ligada a posse do dinheiro. Assim, pensou nosso personagem, ele não era fiel ao vil metal e tendo chegado a esta conclusão tratou logo de passar a nota maldita pra frente e foi tomar uma cerveja no buteco da esquina. “Não sou fiel ao dinheiro. Sou fiel a mim mesmo, a vida, ao amor, aos amigos, a esta cerveja; a Baco e a Dionísio ao mesmo tempo”, dizia nosso amigo para si com longas risadas. Depois de tomar quatro cervejas (cada uma a R$ 2,50) entregou a nota ao dono da budega, que também não deixou de perceber a frase com letras garrafais. Estranhou e pensou por alguns segundos se aceitava a nota pra logo em seguida jogá-la na caixa registradora dizendo: “Deus é fiel?! Tô sabendo...



"Dinheiro é um pedaço de papel
(...)
Dinheiro tem valor quando se gasta

Um pedaço de papel é um pedaço de papel
Dinheiro não se leva para o céu".

Dinheiro.

(Arnaldo Antunes e Jorge Benjor)

6 comentários:

Clคгєคnnค Sคntคnค disse...

Muito Bom Fabiano!
vai pro zine?

Fabiano disse...

Pode ser, Clare. Pode ser...

Isabella Araújo (Zabella) disse...

Adorei o "sou fiel a mim mesmo, ao amor, aos amigos..."
Me incomoda o poder que o dinheiro tem... porque, acredite, o dinheiro tem muito poder. Mas, pensando por outro lado, ele tem poder é pra quem pensa que dinheiro é tudo...
E eu não sei se pior é ecrever Deus é fiel no dinheiro, ou nos carros "Presente de Deus" "Deus existe na minha vida" "Foi Deus quem me deu". Santo Deus!

fabiano disse...

Tem uma frase dessas,não menos interessante, que vc esqueceu: "foi deus que me deu". Acho incrível como as pessoas se anulam. De toda forma já estou com minha listinha no bolso, agora falta só vê-lo.

Isabella Araújo (Zabella) disse...

Rapaz, vamos atualizar isso aqui... ou será que o dinheiro tomou conta do pedaço? :)

fabiano disse...

Hahahhahah... Pois é...
Mas estava de viagem, por isso não atualizei o blog na última semana. Mas já tenho um punhado de coisas para postar. Mas vamos por partes. O dinheiro só pode vir se for para ajudar e com certeza ajuda.
:-P