22.4.08

Pensamentos da ultima noite

Parem os relógios!

Pra quê precisamos marcar
a hora de nossa morte?
Marquemos então
a hora de nossas vidas: parem os relógios!




O homem moderno

O homem moderno se enfeitiçou
pela mercadoria.
Esta tomou conta de sua vontade.
Fez dele um escravo.
O ultimo modelo enfeitiçou-lhe até seus olhos brilharem.
Não conseguiu vender o que tinha,
então jogou fora no lixo pra ter um mais novo.
Pagou os olhos da cara,
ficou devendo, ficou liso,
dividiu em pesadas prestações a perder de vista.
Mas ficou na moda, ficou bem visto entre os amigos,
ficou de bem com seu amor, ficou até mais charmoso...
ficou “bem”, mas, até o ladrão ficar sabendo.
Pois até este tem o direito de ser um
homem moderno, não?




TV

Ligo a TV.
Pra quê?
Se olho e não vejo nada.
Como um idiota, com o
controle na mão,
subo e desço os canais,
aumento e baixo o volume.
O melhor programa é aquele do
chiado branco na tela.



Os sábios

Os sábios imaginam que
sabem sobre as coisas por demais
e não percebem que quase sufocam
os outros com o tamanho de seu ego.
Foi uma criança, filosofa
por natureza, que lhes ensinou
o segredo de ouvir as
pessoas de vez em quando.
Mas já era tarde demais,
o vício já lhes tinha feito morada.



O tempo

Quem inventou o tempo
não teve tempo
de ver a merda
que fez, presumo.
Mas a merda maior é que
não há mais tempo para
voltar atrás.

Um comentário:

clareanna disse...

bom! muito bom!